domingo, 13 de novembro de 2011

oi 
Até que um não senta a verdadeira alegria de Natal, não existe. Todo o demais é aparência - muitos enfeites. Porque não são os enfeites, não é a neve. Não é a árvore, nem a chaminé. O Natal é o calor que volta ao coração das pessoas, a generosidade de compartilhá-la com outros e a esperança de seguir adiante.  
Não existe o Natal ideal, só o Natal que você decida criar como reflexo de seus valores, desejos, queridos e tradições. (Bill McKibben)
Bendita seja a data que une a todo mundo numa conspiração de amor. (Hamilton Wright Mabi) 
O Natal não é uma data... É um estado da mente (Mary Ellen Chase)
Talvez o melhor enfeite de natal é um grande sorriso
Se não sabes que presentear a teus seres mais queridos em Natal, presenteie-lhes teu amor
FELIZ NATAL PRA TODOS 

domingo, 30 de outubro de 2011

Ser Fã: Promoções

Ser Fã: Promoções: Com a volta da loja, resolvemos fazer uma promoção bem legal para vocês, a promoção consiste em você criar uma campanha de marketing para a...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

OLHA QUE MARAVILHA ESSE SORTEIO

Quero ganhar o #sorteio de uma Cesta de vinho e queijos da @GiulianaFlores e @ElisaMariana08 #UF estão sorteando http://bit.ly/oV63aS



">

sábado, 10 de setembro de 2011

ATENÇÃO MEUS AMIGOS SEGUEM MEU BLOG VOU FICAR MUITO FELIZ

Scraps
Recados animados


Amor em paz


Eu amei
Eu amei, ai de mim, muito mais
Do que devia amar
E chorei
Ao sentir que iria sofrer
E me desesperar

Foi então
Que da minha infinita tristeza
Aconteceu você
Encontrei em você a razão de viver
E de amar em paz
E não sofrer mais
Nunca mais
Porque o amor é a coisa mais triste
Quando se desfaz
Vinícius de Moraes
Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.
Vinícius de Moraes





alt
Betty Boop
alt
Butterfly

Glitter para orkut

Glitter para orkut


terça-feira, 30 de agosto de 2011

OLHA ESSE SORTEIO DO BLOG CANTINHO TUDO A VIVER


A maleta com espelho interno
30 sombras para os olhos
2 blushs
4 batons
2 máscaras
5 esmaltes
1 base para as unhas
6 brilhos fracos em pó
2 brilhos para os lábios
1 lápis delineador para os olhos
1 lápis delineador para os lábios
1 apontador
6 pincéis com pontas de cerda, 4 com pontas em espuma e 1 para cílios
Super sorteio >>>>http://t.co/OyRSCOB

sábado, 27 de agosto de 2011

BULLINING VOCÊ PODE COMETER A QUALQUER HORA MESMO SEM PERCEBER

Bulling é uma discriminação, feita por alguns cidadãos contra uma única pessoa. Mas não é uma coisa simples, que se pode vencer de um dia para o outro. Bulling é um mal que se carrega durante um período da vida muitíssimo grande. Quando alguém diz que seu cabelo está estranho, você provavelmente vai correndo para o espelho mais próximo para se arrumar. Agora imagina duas, três, dez pessoas, todo o dia, falando mal do seu cabelo, de coisas que você não tem culpa por ter ou muitas vezes por não ter. Sim, isso seria completamente insuportável, quer dizer, sua alto estima fica lá embaixo, e os malvados causadores do bulling seriam os heróis. O que você faria? Se mataria? Sim, existem crianças que se suicidam, mas não com a idéia de que a vida delas é uma droga, e, sim, de que eu vou morrer porque sou feia e tudo que eles dizem é verdade.

Apelidos como "rolha de poço", "baleia", "quatro olhos", vara pau entre outros e atitudes como chutes, empurrões e puxões de cabelo. Alunos "esforçados" que geralmente sofrem represalias por parte de seus colegas em geral não por caracteriticas fisicas mas também intelectuais são comportamentos típicos de alunos em sala de aula. Brincadeiras próprias da idade? Não. São atos agressivos, intencionais e repetitivos, que ocorrem sem motivação evidente e que caracterizam o chamado fenômeno bullying.

Sem equivalente na língua portuguesa, bullying é um termo inglês utilizado para designar a prática desses atos agressivos. As conseqüências são o isolamento, a queda do rendimento escolar, baixa auto-estima, depressão e pensamentos negativos de vingança.

Estudos mundiais revelam que, de 5% a 35% dos alunos estão envolvidos nesse tipo de comportamento. No Brasil, alguns estudos demonstraram que esses índices chegam a 49%.

O encontro abordará o fenômeno nos seus diversos aspectos: escolar, familiar, social, cultural, ético-legal e saúde. O foco principal do evento será o debate, com o objetivo de despertar os profissionais para que se envolvam e se comprometam com a problemática. "A proposta não se limita apenas a discutir medidas pontuais, mas elaborar ações estratégicas que auxiliem a parceria escola-família a romper com a dinâmica bullying", explicou Cléo Fante, membro da comissão organizadora, pesquisadora e autora do livro Fenômeno Bullying, da Editora Verus.

Anúncios Google

Com os avanços da tecnologia, esse constrangimento saiu das escolas onde era um lugar comum dessa prática e partiu para internet e ganhou força. A nova prática recebeu o nome de “Cyberbulling” e se infiltrou em correios eletrônicos, blogs, Orkut, Msn, etc. O agressor nesse caso, muitas vezes escondido atrás de um apelido, dissemina sua raiva e felicidade enviando mensagens ofensivas a outras pessoas. Em muitos casos, ele exibe fotos comprometedoras, altera o perfil das vítimas e incita terceiros a reforçar o ataque. O único propósito é a humilhação da vítima e isolamento daquele que é considerado mais fraco ou diferente.

“Quem agride, quer que o seu alvo se sinta infeliz como na verdade ele é. É provável que o agressor também tenha sido humilhado um dia, descarregando no mais frágil a sua própria frustração e impotência”(Maluh Duprat).

Não é interessante responder às provocações, pois isso aumentaria a raiva do agressor e é exatamente isso que ele quer. “Outra coisa importante é não manter segredo da ofensa, intimidando-se. Pode ser um bom momento de lidar com os próprios complexos, de superar com a ajuda da família ou dos superiores no trabalho uma situação de confronto maior que seus recursos internos”.

Bulling não é nada bom, e se você conhece alguém que sofre com isso, ajude-o. Pois você se beneficiará com uma nova amizade ou quem sabe salvando uma vida.

QUERO FAZER UMA NOVA NAÇÃO ONDE NÃO HA PRECONCEITOS

O preconceito racial é uma doença insidiosa moral e social que afeta os povos e as populações de todo o mundo. É diagnosticada pela catalogação dos seus vários sintomas e manifestações que incluem o medo, a intolerância, a separação, a segregação, a discriminação e o ódio. Apesar de todos estes sintomas de preconceito racial serem manifestados, a única causa subjacente do preconceito racial é a ignorância. Historicamente, uma raça de pessoas é definida como uma população com características biológicas distintas.

Enquanto todos os seres humanos pertencem à mesma espécie, Homo sapiens, as raças se distinguem umas das outras por características como cor e textura do cabelo, cor da pele, cor e formato dos olhos, o tamanho de partes/membros do corpo e os órgãos faciais. Embora os cientistas tenham chegado à conclusão de que essas diferenças entre os povos são superficiais e que a humanidade tem mais características em comum do que diferentes, a própria humanidade continua a ver os outros de acordo com características que são percebidas externamente.

De fato, os seres humanos são aparentemente diferentes; o problema surge quando os sintomas da doença tornam-se evidentes: a intolerância, a separação e o ódio. De uma forma positiva, alguém pode aceitar as diferenças dos povos em toda a face da terra e maravilhar-se com a singularidade dos indivíduos que vivem em uma parte diferente do mundo ou na sua vizinhança. O preconceito racial perverte essa singularidade das raças e enxerga essas diferenças como algo que separa os indivíduos uns dos outros, com um grupo sendo inferior ao outro.

Preconceito Racial – Todos sofremos desse problema?
O preconceito racial afeta a todos. Na medida em que o preconceito racial se manifesta em que as pessoas são "pré-julgadas" com base nas características superficiais, devemos honestamente concluir que todas as pessoas "sofrem" deste mal em vários níveis. Quando não conhecemos um indivíduo bem, começamos a caracterizá-lo, consciente ou inconscientemente, com base no que vemos. Novamente, isso é devido à nossa ignorância do verdadeiro caráter da pessoa e personalidade. Formamos opiniões muitas vezes baseadas em generalizações: "todas as pessoas de tal ou tal raça são. . ." Podemos preencher as lacunas com as expectativas de que certas raças são intelectualmente superiores, cheias de avareza, mais inclinadas artisticamente ou atleticamente ou possuidoras de membros que supostamente são mais prováveis de serem desonestos, etc, etc. . Essas ideias foram formadas pela sociedade, mídia e por como fomos criados.

Talvez essas ideias tenham sido ensinadas direta ou indiretamente pelos nossos próprios pais. Qualquer que seja a fonte, mesmo o membro mais esclarecido de uma sociedade vai perceber que, em certa medida, ele ou ela está julgando uma outra pessoa com base em aspectos superficiais de raça.

Preconceito Racial – Quais são as suas implicações para a sociedade?
O preconceito racial tem moldado as sociedades contemporâneas; na verdade, o preconceito tem moldado as sociedades desde o início dos tempos. Quando estudamos os filhos de Abraão, Isaque e Jacó vivendo na terra de Gósen, vemos que certos povos tinham sido dominados devido às suas diferenças. Além de todas as implicações espirituais da nação de Israel viver no Egito, é evidente que os egípcios temiam os israelitas. Sempre que há diferenças, há o medo, a intolerância e a injustiça.

De Hitler e nazistas aos proprietários de escravos, o preconceito de uma raça contra outra tem resultado em atrocidades. Para combater a doença do preconceito racial, sociedades modernas elaboraram e aprovaram legislações para garantir que as pessoas se "tratariam" com respeito e dignidade, permitindo a todos o direito inalienável da vida e liberdade. Embora a ação do homem possa ser legislada, os seus corações e temores não podem. Assim, a sociedade continua a sofrer da doença. Fóruns, coligações e outras iniciativas continuam a ser formadas para promover a união, compreensão e tolerância.

A melhor resposta pode ser encontrada na Bíblia: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas" (Mateus 22:37-40).

Atos 17:26 diz: "E de um só sangue fez toda a geração dos homens..."
O preconceito é o ato de ter uma opinião contrária sobre determinado assunto sem antes conhecê-lo.
A grande razão para ocorrer o preconceito, é que existem pessoas que se julgam superiores aos outros, não usam o bom senso e resumem que a sua opinião sempre será a mais importante.
Há inúmeros tipos de preconceito, mas abaixo estão os principais:

-Preconceito à outra cor - É denominado de racismo e existe principalmente em relação à negros. No Brasil, surgiu com a escravidão e é muito presente até hoje, apesar de a escravidão ter sido abolida em 1888. Há também o racismo contra brancos, amarelos, vermelhos, pardos etc...

-Preconceito contra loiras- Quem nunca ouviu uma piadinha sobre loiras burras?

-Preconceito à outra religião - Hoje em dia, o maior exemplo deste preconceito são os conflitos no Oriente Médio. A luta entre judeus e islâmicos custa dezenas de vidas diariamente. Grupos extremistas no Iraque matam inocentes cruelmente somente porque são de outra religião.

-Preconceito contra as mulheres - É denominado de machismo e existe por causa do antigo papel das mulheres como dona de casa. O machismo gera muita mágoa porque vários homens não reconhecem a capacidade das mulheres de fazerem algo diferente à costurar e cozinhar.

-Preconceito quanto a classe social - Ricos discriminam pessoas de baixa classe social, com famosas frases do tipo ,,Isso é coisa de pobre..", ou vice-versa.

-Preconceito contra pessoas de outra orientação sexual - Homossexuais e bisexuais são muito agredidos moralmente e até fisicamente só por não serem "iguais". É uma triste realidade, tanto que vários escondem sua preferência sexual.

-Preconceito contra pessoas de outra nacionalidade - A maioria dos brasileiros critica os norte-americanos, apesar de estar sempre os imitando. Brasileiros sofrem de preconceito em outros países, assim como muitos estrangeiros são discriminados no Brasil. Precisamos aprender que nem todo português é burro e nem todo brasileiro é malandro.

EU NÃO SOU GAY MAIS ADMIRO SUA FORÇA

UMA VEZ ME PERGUNTARAM: SE SEU FILHO FOSSE GAY, QUAL SERIA SUA REAÇÃO?
FELIZMENTE, NO MEU CASO SERIA UMA SURPRESA. CLARO, NÃO VOU DIZER QUE SERIA NORMAL, MAS COM CERTEZA NÃO SERIA O FIM DO MUNDO.
CONHEÇO E AMO PESSOAS QUE SÃO GAYS, MEUS MELHORES AMIGOS, TRABALHADORES, GUERREIROS NA VIDA SÃO GAYS, MAS INFELIZMENTE, SUAS FAMÍLIAS OS TRATA COMO ANIMAIS, COMO PESSOAS AMALDIÇOADAS, E NÃO É ASSIM, POIS, SÃO INCAPAZES DE FAZER MAL A ALGUÉM, AO CONTRÁRIO DE TANTA GENTE QUE FAZ MAL NESSE MUNDO E NÃO É TRATADA COMO DEVE. ELES SÓ QUEREM O DIREITO DE AMAR DO JEITO QUE ESCOLHERAM. PORQUE TANTO PRECONCEITO
QUERO QUE AS PESSOAS TENHAM MAIS RESPEITO PELA A VIDA E NÃO PELO PRECONCEITO.
SE COLOCAM VÁRIOS NOMES, PARA MIM SÓ TEM ESSES. ME DEIXE AMAR DO MEU JEITO, ME DEIXE SER QUEM EU SOU, RESPEITE O MEU ESPAÇO. EU SOU ADMIRADORA DE QUEM LUTA PELA VIDA, GAY, LÉSBICA, TRAVESTI OU TRANS. SEI LÁ COMO ESCOLHE NOMES, SÃO PESSOAS QUE SÓ QUEREM VIVER E SER RESPEITADOS.
ESSA É MINHA INDIGNAÇÃO PELO PRECONCEITO EU NÃO SOU GAY! MAIS SE FOSSE? O QUE VOCÊ TEM A VER COM ISSO???

FIQUE VIVO EM ALGUEM SEJA UM DOADOR DE ÓRGÃOS


Como posso me tornar um doador de órgãos?
O passo principal para você se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. Porém, os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. A doação de órgãos é um ato pelo qual você manifesta a vontade de que, a partir do momento da constatação da morte encefálica, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos), em condiçães de serem aproveitadas para transplante, possam ajudar outras pessoas.

O que é morte encefálica?
É a morte do cérebro, incluindo tronco cerebral que desempenha funçães vitais como o controle da respiração. Quando isso ocorre, a parada cardíaca é inevitável. Embora ainda haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte cerebral não pode respirar sem os aparelhos e o coração não baterá por mais de algumas poucas horas. Por isso, a morte encefálica já caracteriza a morte do indivíduo. Todo o processo pode ser acompanhado por um médico de confiança da família do doador. é fundamental que os órgãos sejam aproveitados para a doação enquanto ainda há circulação sangüínea irrigando-os, ou seja, antes que o coração deixe de bater e os aparelhos não possam mais manter a respiração do paciente. Mas se o coração parar, só poderão ser doadas as córneas.

Quais os requisitos para um cadáver ser considerado doador?
* Ter identificação e registro hospitalar;
* Ter a causa do coma estabelecida e conhecida;
* Não apresentar hipotermia (temperatura do corpo inferior a 35ºC), hipotensão arterial ou estar sob efeitos de drogas depressoras do Sistema Nervoso Central;
* Passar por dois exames neurológicos que avaliem o estado do tronco cerebral. Esses exames devem ser realizados por dois médicos não participantes das equipes de captação e de transplante;
* Submeter-se a exame complementar que demonstre morte encefálica, caracterizada pela ausência de fluxo sangüíneo em quantidade necessária no cérebro, além de inatividade elétrica e metabólica cerebral; e
* Estar comprovada a morte encefálica. Situação bem diferente do coma, quando as células do cérebro estão vivas, respirando e se alimentando, mesmo que com dificuldade ou um pouco debilitadas. Observação: Após diagnosticada a morte encefálica, o médico do paciente, da Unidade de Terapia Intensiva ou da equipe de captação de órgãos deve informar de forma clara e objetiva que a pessoa está morta e que, nesta situação, os órgãos podem ser doados para transplante.

Quero ser um doador de órgãos. O que posso doar?
* Córneas (retiradas do doador até seis horas depois da parada cardíaca e mantidas fora do corpo por até sete dias);
* Coração (retirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo seis horas);
* Pulmão (retirados do doador antes da parada cardíaca e mantidos fora do corpo por no máximo seis horas);
* Rins (retirados do doador até 30 minutos após a parada cardíaca e mantidos fora do corpo até 48 horas);
* Fígado (retirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas);
* Pâncreas (retirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas);
* Ossos (retirados do doador até seis horas depois da parada cardíaca e mantidos fora do corpo por até cinco anos);
* Medula óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue);
* Pele; e
* Valvas Cardíacas.

Quem recebe os órgãos e/ou tecidos doados?
Quando é reconhecido um doador efetivo, a central de transplantes é comunicada, pois apenas ela tem acesso aos cadastros técnicos com informações de quem está na fila esperando um órgão. Além da ordem da lista, a escolha do receptor será definida pelos exames de compatibilidade entre o doador e o receptor. Por isso, nem sempre o primeiro da fila é o próximo a receber o órgão.

Como garantir que meus órgãos não serão vendidos depois da minha morte?
As centrais de transplantes das secretarias estaduais de saúde controlam todo o processo, desde a retirada dos órgãos até a indicação do receptor. Assim, as centrais de transplantes controlam o destino de todos os órgãos doados e retirados.

Disseram-me que o corpo do doador depois da retirada dos órgãos fica todo deformado. Isso é verdade?
É mentira. A diferença não dá para perceber. Aparentemente o corpo fica igualzinho. Aliás, a Lei é clara quanto a isso: os hospitais autorizados a retirar os órgãos têm que recuperar a mesma aparência que o doador tinha antes da retirada. Para quem doa não faz diferença, mas para quem recebe sim!

Posso doar meus órgãos em vida?
Sim. Também existe a doação de órgãos ainda vivo. O médico poderá avaliar a história clínica da pessoa e as doenças anteriores. A compatibilidade sangüínea é primordial em todos os casos. Há também testes especiais para selecionar o doador que apresenta maior chance de sucesso. Os doadores vivos são aqueles que doam um órgão duplo como o rim, uma parte do fígado, pâncreas ou pulmão, ou um tecido como a medula óssea, para que se possa ser transplantado em alguém de sua família ou amigo. Este tipo de doação só acontece se não representar nenhum problema de saúde para a pessoa que doa.

Para doar órgãos em vida é necessário:
* ser um cidadão juridicamente capaz;
* estar em condições de doar o órgão ou tecido sem comprometer a saúde e aptidões vitais;
* apresentar condições adequadas de saúde, avaliadas por um médico que afaste a possibilidade de existir doenças que comprometam a saúde durante e após a doação;
* Querer doar um órgão ou tecido que seja duplo, como o rim, e não impeça o organismo do doador continuar funcionando; " Ter um receptor com indicação terapêutica indispensável de transplante; e
* Ser parente de até quarto grau ou cônjuge. No caso de não parentes, a doação só poderá ser feita com autorização judicial.

Orgãos e tecidos que podem ser doados em vida:
* Rim;
* Pâncreas;
* Medula óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue);
* Fígado (apenas parte dele, em torno de 70%); e
* Pulmão (apenas parte dele, em situações excepcionais).

Quem não pode doar?
* Pacientes portadores de insuficiência orgânica que comprometa o funcionamento dos órgãos e tecidos doados, como insuficiência renal, hepática, cardíaca, pulmonar, pancreática e medular;
* Portadores de doenças contagiosas transmissíveis por transplante, como soropositivos para HIV, doença de Chagas, hepatite B e C, além de todas as demais contra-indicações utilizadas para a doação de sangue e hemoderivados;
* Pacientes com infecção generalizada ou insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas; e
* Pessoas com tumores malignos - com exceção daqueles restritos ao sistema nervoso central, carcinoma basocelular e câncer de útero - e doenças degenerativas crônicas.

O que diz a Lei brasileira de transplante atualmente?
Lei que dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante é a Lei 9.434, de 04 de fevereiro de 1997, posteriormente alterada pela Lei nº 10.211, de 23 de março de 2001, que substituiu a doação presumida pelo consentimento informado do desejo de doar. Segundo a nova Lei, as manifestações de vontade à doação de tecidos, órgãos e partes do corpo humano, após a morte, que constavam na Carteira de Identidade Civil e na Carteira Nacional de Habilitação, perderam sua validade a partir do dia 22 de dezembro de 2000. Isto significa que, hoje, a retirada de órgãos/tecidos de pessoas falecidas para a realização de transplante depende da autorização da família. Sendo assim, é muito importante que uma pessoa, que deseja após a sua morte, ser uma doadora de órgãos e tecidos comunique à sua família sobre o seu desejo, para que a mesma autorize a doação no momento oportuno.

Como pode ser identificado um doador de órgãos?
A Centrais Estaduais também têm um papel importante no processo de identificação/doação de órgãos. As atribuições das CNCDOs são, em linhas gerais: a inscrição e classificação de potenciais receptores; o recebimento de notificações de morte encefálica, o encaminhamento e providências quanto ao transporte dos órgãos e tecidos, notificação à Central Nacional dos órgãos não aproveitados no estado para o redirecionamento dos mesmos para outros estados, dentre outras. Cabe ao coordenador estadual determinar o encaminhamento e providenciar o transporte do receptor ideal, respeitando os critérios de classificação, exclusão e urgência de cada tipo de órgão que determinam a posição na lista de espera. O que é realizado com o auxílio de um sistema informatizado para o ranking dos receptores mais compatíveis.

A identificação de potenciais doadores é feita, principalmente, nos hospitais onde os mesmos estão internados, através das Comissões Intra-hospitalares de Transplante, nas UTIs e Emergências em pacientes com o diagnóstico de Morte Encefálica. As funções da coordenação intra-hospitalar baseiam-se em organizar, no âmbito do hospital, o processo de captação de órgãos, articular-se com as equipes médicas do hospital, especialmente as das Unidades de Tratamento Intensivo e dos Serviços de Urgência e Emergência, no sentido de identificar os potenciais doadores e estimular seu adequado suporte para fins de doação, e articular-se com a respectiva Central de Notificação, Captação e Distribuição de órgãos, sob cuja coordenação esteja possibilitando o adequado fluxo de informações.

Doação de Sêmen

Doê semêm e complete vidas

A paternidade é uma das maiores emoções na vida de uma casa. Infelizmente nem todos têm o privilégio de desfrutrar dessa felicidade. Cerca de 15% dos casais possuem dificuldades para gerar um filho, muitas vezes porque o homem não produz espermatozóides.


Você pode fazer um grande bem à vida desses casais. Pode ser a esperança deles. Aproximá-los de um sonho, reforçar um vínculo para os casais. Sua solidariedade pode proporcionar a outras pessoas a mesma felicidade que seus pais sentiram quando você nasceu.


A doação de sêmen é fácil e indolor. Não provoca nenhum efeito colateral e não requer nenhum esforço. É uma nobre iniciativa que pode trazer uma felicidade sem tamanho também para você doador, uma ação que vai transformá-lo no herói anônimo ao contribuir para completar a vida de um casal.

Conheça um pouco mais da Pro-Seed.

Banco de Sêmen
Entre em Contato
Dúvidas Frequentes

EU SOU UM DOADOR E VOCÊ

Orientações para doadores de sangue
Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue.

O doador deve...
- trazer documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);
- estar bem de saúde;
- ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 67 anos, 11 meses e 29 dias;
- pesar mais de 50 Kg;
- não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação.

Impedimentos temporários
- Febre
- Gripe ou resfriado
- Gravidez
- Pós-parto: parto normal, 90 dias; cesariana, 180 dias
- Uso de alguns medicamentos
- Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis


Cirurgias e prazos de impedimentos
- Extração dentária: 72 horas
- Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: três meses
- Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses
- Ingestão de bebida alcoólica no dia da doação
- Transfusão de sangue: 1 ano
- Tatuagem: 1 ano
- Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina

Impedimentos definitivos
- Hepatite após os 10 anos de idade
- Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas
- Uso de drogas ilícitas injetáveis
- Malária

Intervalos para doação
- Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)
- Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)

Doe sangue com responsabilidade
Você sabe o que é janela imunológica? É o período entre a contaminação da pessoa por um determinado agente infeccioso (HIV, hepatite...) e a sua detecção nos exames laboratoriais.

No período da janela imunológica, os exames são negativos, mas mesmo assim o sangue doado é capaz de transmitir o agente infeccioso aos pacientes que o receberem.

A sinceridade ao responder as perguntas do questionário que antecede a doação é importante para evitar a transmissão de doenças aos pacientes.

Nunca doe sangue se você quiser apenas fazer um exame para Aids. Neste caso, procure um Centro de Testagem Anônima e gratuita.

Informe-se pelo Disque-Saúde: 0800-61-1997 ou pelos Centros de Testagem Anônima.

Cuidados pós-doação
- Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas
- Aumentar a ingestão de líquidos
- Não fumar por cerca de 2 horas
- Evitar bebidas alcóolicas por 12 horas
- Manter o curativo no local da punção por pelo menos de quatro horas
- Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho

Em caso de dúvidas, entrar em contato com o Serviço de Hemoterapia do INCA pelo telefone
(21) 3207-1580 / 3207-1021 e 3207-1058.

Dúvidas mais frequentes

Local e horário para doação:
Hospital do Câncer I (Unidade Hospitalar do INCA)
Praça Cruz Vermelha, 23 / 2° andar - Centro - Rio de Janeiro
Horário: segunda a sexta-feira das 7h30 às 14h30
sábados das 8h às 12h
Para doação de plaquetas é necessário agendar horário pelo telefone (21) 3207-1064

Câncer de mama: veja quais são os verdadeiros sinais

Como eu já disse aqui no blog, a revisão de dois estudos amplos, patrocinados pela OMS, revelou que, do ponto de vista estatístico, o auto-exame mensal dos seios é menos eficaz que a mamografia (o que já se sabia na prática) e pode ser substituído, sem prejuízo, por uma auto-vigilância dos seios, sem o rigor e o passo-a-passo do auto-exame tradicional. Portanto, menos estresse, mas sem que isso nos dispense da informação nem da responsabilidade que devemos ter para com a saúde dos nossos seios.

A pergunta é: como exercer essa auto-vigilância? A Sociedade Americana de Câncer recomenda aproveitar as oportunidades que se tem de observá-los, tocá-los e examiná-los. Por exemplo: quando estamos trocando de roupa diante do espelho, quando estamos tomando banho (a pele ensaboada facilita a inspeção dos seios e das axilas) ou quando estamos deitadas.

Se notarmos a presença de qualquer anormalidade neles, devemos consultar um mastologista ou ginecologista sem demora. Depois de nos examinar clinicamente, ele nos prescreverá uma mamografia e/ou ultra-sonografia, dependendo da nossa idade, do nosso caso e do nosso histórico clínico, pessoal e familiar. Se necessário, prosseguirá com as investigações até poder nos dar um diagnóstico seguro. Pelo menos é o que se espera de um médico competente e responsável.

Lembre-se: é de suma importância conhecermos, tocarmos e vigiarmos os nossos seios. O prof. Umberto Veronesi, considerado um dos maiores especialistas em mama do mundo, afirmou em entrevista à Folha de São Paulo de 5/08/2006:

“É muito importante que a mulher supere o pavor de apalpar a mama. Na Europa, de 50% a 60% dos tumores são descobertos pelas mulheres. É claro que, para tumores muito pequenos, a detecção só será possível com o uso da mamografia.”

Veja a seguir quais são os verdadeiros sinais de câncer que nós mesmas podemos perceber nos seios, embora, no mais das vezes, a maioria deles nos leve à descoberta não de um câncer mas tão somente de um problema benigno.

1. Você tem dor nos seios?

Em geral o câncer de mama não dói. Ele só provoca dor quando o tumor é volumoso ou quando se apresenta sob a forma inflamatória, o que é raro. Abro parênteses para esclarecer que há tumores benignos que também não doem, da mesma forma que há inflamações no seio que nada têm a ver com câncer.

Dor no seio (ou dor mamária, mastalgia, mastodínia) é coisa bastante comum na vida de qualquer mulher. Decorre quase sempre de uma tensão nos tecidos mamários, provocada por mudanças hormonais e cistos (bolsas d’água ou de leite). Essa tensão costuma se manifestar com mais freqüência na fase pré-menstrual, durante a gravidez ou quando os seios estão ingurgitados de leite na fase da lactação.

Quando, porém, a dor é acompanhada de vermelhidão ou outro sinal inflamatório no seio, exige de nós e de nossos médicos atenção redobrada. Seja para evitar que a inflamação atraia infecção, seja, principalmente, para termos certeza de que não estamos diante de um câncer.

Cistos, em si mesmos, são eventos benignos bastante freqüentes. Doem quando são muitos ou quando aumentam de volume mas podem igualmente ser reabsorvidos pelo tecido mamário. Só exigem biópsia quando apresentam certas características, como células, massa ou sangue no seu interior.

Os especialistas acreditam que o estresse, a ansiedade e a depressão podem promover a liberação de substâncias no cérebro que reduzem ou aumentam a liberação de determinados hormônios femininos, levando os tecidos de certos seios mais sensíveis a apresentar reações que produzem dor.

Às vezes, a dor no seio não tem origem no seio. Vem de fora. Nesse caso, ela é apenas o reflexo de um problema noutro lugar, como, por exemplo, compressão de nervos no pescoço, nas costas ou na coluna vertebral, entre outros.

Embora sabendo que as dores no seio são quase sempre de origem benigna, não devemos negligenciá-las nunca, pois as exceções existem e é melhor não dar chance a elas. Toda dor no seio deve o quanto antes ser comunicada ao médico com vistas a investigar suas possíveis causas antes de encará-la como o resultado apenas de simples alterações funcionais benignas da mama (AFBM), antigamente conhecidas por displasia.

2. Você tem nódulo no seio? Tem uma área no seio mais espessa que as outras ou claramente endurecida (como pedra)? Observe também se ao tocar com os dedos na região embaixo do mamilo você tem a sensação de tocar numa placa dura.

Uma área mais espessa na mama pode indicar a presença de cistos ou de massa benigna, mas pode também estar relacionada com a presença de um tumor maligno. As massas e nódulos cancerosos via de regra são espessos, compactos, na maioria duros como pedra, e mal contornados. Entretanto, a Sociedade Americana de Câncer adverte que há cânceres de mama que podem ser macios, moles, ou bem contornados (“tender, soft, or rounded”). Daí a importância de consultar o médico com vistas a investigar logo, com exames apropriados, todo e qualquer nódulo ou massa que se perceba no seio.

Um conselho do prof. Roger Poisson (mastologista canadense): se você tem mais de 30 anos e tem uma massa ou nódulo duro, indolor e solitário num só dos seios, mesmo que a biópsia mostre que se trata de um tumor benigno, é melhor retirá-lo, pois outro pode surgir e se juntar a ele, dessa vez ser canceroso e confundir o observador. Lembre-se: o avanço da idade é fator de risco de câncer de mama.

3. Um de seus seios está aumentando de volume?
O aumento do volume mamário pode ser apenas o resultado de uma alteração funcional benigna da mama (AFBM). Mas pode ser também que seja causado pela presença de um tumor maligno. Nesse caso, ou o nódulo canceroso se desenvolve ao ponto de aumentar o tamanho do seio, ou provoca uma reação inflamatória como conseqüência da difusão das células cancerosas.

Quando a mulher adulta percebe um aumento de volume mamário sem relação com o ciclo menstrual nem com a gravidez ou a lactação, deve, de imediato, comunicar esse fato ao médico. O mais preocupante é quando isso ocorre de forma unilateral, isto é, somente num dos seios, e este apresenta dor, vermelhidão e/ou exsudação em toda a sua superfície ou parte dela.

4. A pele de seu seio apresenta mudança? Vermelhidão?

Uma mudança no aspecto da pele pode estar ligada a uma alteração benigna da mama. Mas também pode ser causada pela presença de um câncer. Os sinais cutâneos que mais devem alertar são: retração da pele, alterando a textura e a forma do seio, e pele de aspecto rugoso ou granuloso, lembrando uma casca de laranja.

Vermelhidão na pele da mama ou em parte dela também é sinal que exige atenção. A coloração vermelha do seio pode ser sintoma de um câncer raro a que já me referi acima, o carcinoma mamário inflamatório, e mais raramente ainda, de um linfoma mamário com comprometimento dos linfáticos da pele. A pele reage à agressão difusa do câncer ficando vermelha. Uma vermelhidão particularmente suspeita é aquela na qual a inflamação acarreta uma sensação de calor e dor.

Quando a mulher está amamentando, um câncer inflamatório pode ser confundido com outras condições, como, por ex., com inflamação e simples infecção decorrentes de eventos benignos (“leite pedrado”, por ex.), adverte o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos. Foi o que aconteceu com uma mulher que conheci há pouco, ainda jovem, mas com forte histórico familiar de câncer de mama.

5. Um de seus mamilos está se retraindo ou engrossando?
Uma retração ou engrossamento do mamilo pode ser sintoma de um tumor canceroso situado logo embaixo dele. As células de um tumor canceroso atraem os tecidos próximos, puxando o mamilo para dentro da mama. Portanto, se seu mamilo não tem um defeito congênito conhecido como “invaginação” e está se retraindo, e/ou engrossando, com ou sem dor, e sendo puxado para dentro da mama, procure consultar um médico o quanto antes.

6. Você tem eczema (com ou sem exsudação)?
É claro que um simples eczema, reação alérgica ou irritação na pele da mama não são sinônimos de câncer. Entretanto, há um risco de que isso também seja um sinal de câncer embaixo do mamilo (ver item anterior), sobretudo quando surge em apenas um dos seios e na região do mamilo e aréola.

A doença que leva à corrosão e destruição do mamilo e que está relacionada com um tumor canceroso situado embaixo dele é conhecida como doença de Paget.

É possível que alguns dos sinais aqui descritos sejam produzidos por um câncer que se inicia na pele da mama e se propaga para dentro do órgão; mas o mais comum é que se refiram à doença de Paget, cuja origem, repito, é um câncer de mama situado embaixo do mamilo.

7. Você tem secreções pelo mamilo?
Secreções, derrames ou corrimentos pelo mamilo (que também é chamado de papila) podem ocorrer fora da fase da lactação. De forma espontânea ou somente quando se aperta a mama ou o mamilo. Quando a secreção fora da fase da lactação é leite, chama-se galactorréia e não constitui um problema de saúde.

As demais secreções se acham relacionadas em sua maioria a quadros de alterações funcionais benignas da mama (AFBM) ou a desordens benignas de várias origens. Quando ocorrem num só dos seios, despertam uma suspeita maior de que sejam de origem patológica – benigna ou maligna.

Infecções subareolares, problemas na tireóide ou na hipófise, síndrome anovulatória e estimulação da glândula mamária por algum tipo de droga ou hormônio podem provocar secreções pelo mamilo.

Se não houver história de uso de determinadas drogas ou hormônios para explicar a secreção, os médicos podem pedir, entre outros, um exame de dosagem de prolactina, pois seu resultado pode fornecer indício da existência de tumor na hipófise. Nesse caso, eles solicitam exames por imagem (tomografia).

Além das secreções benignas a que já me referi, há aquelas produzidas por lesões eczematóides, erosões traumáticas, infecção das glândulas de Montgomery e por problemas decorrentes da invaginação (inversão) congênita dos mamilos.

As secreções pelo mamilo têm aspecto que varia entre leitoso, amarelado, claro, negro, verde-escuro ou sangüinolento. Quando não são patológicas, costumam ser bilaterais, multíporas (escoam pelos vários poros do mamilo) e ocorrem geralmente quando se manipula ou pressiona a mama ou especificamente o mamilo. Quando patológicas, tendem a ser espontâneas, unilaterais, uníporas (escoam por um só poro do mamilo). Mas, mesmo quando são patológicas, só em alguns casos constituem sinal de câncer.

Toda e qualquer secreção pelo mamilo deve ser cuidadosamente investigada com exames adequados a fim de se descartar ou detectar a presença de câncer. Nos casos em que os exames informam que existe tumor (geralmente em ducto) os especialistas não se limitam à biópsia da secreção: exigem a biópsia do próprio tumor.

8. Você sente gânglios (linfonodos) inchados e doídos na axila?
Quando um gânglio ou linfonodo incha, provocando dor, é sinal de que o sistema imunológico do organismo está aumentando sua produção de células de defesa naquele gânglio como reação a uma infecção benigna. Por ex.: uma gripe ou pneumonia. Mas pode ser também que se trate de uma reação de defesa do organismo a células cancerosas provenientes de um tumor existente no seio (ou no pulmão, por exemplo) que chegaram até o gânglio drenadas pela corrente linfática. Um gânglio na axila é a primeira etapa da propagação de um câncer pelos vasos linfáticos. Às vezes, é também seu primeiro sinal.

Como reconhecer que um gânglio ou linfonodo que se apalpa na axila é canceroso? É que os cancerosos geralmente são duros e de contornos irregulares. Mas só o médico, depois dos exames que fizer e solicitar, poderá informar se um gânglio está ou não comprometido pelo câncer.

Assim como o câncer dos demais órgãos do corpo, todo câncer de mama forma tumor. Em casos raros, porém, ele pode mandar suas células doentes para a axila (metástase regional) e ser oculto, isto é, não ser demonstrável na mama, nem mesmo através de mamografia e outros exames por imagem. Às vezes, para ganhar tempo, os médicos propõem fazer logo uma mastectomia (retirada cirúrgica da mama), seguida de biópsia de toda a mama bem como dos gânglios ou linfonodos removidos da axila.

NB.: o blog lembra a todos, leitoras e leitores, a importância de se cumprir regularmente a agenda de rastreamento precoce do câncer de mama, que inclui visitas médicas e mamografias “preventivas” (substituídas por ultra-sonografias quando a mulher é jovem).

HIV SOU CONTRA QUEM TEM PRECONCEITO E VOCÊ ?

Introdução : sabendo mais sobre Aids e HIV

A sigla Aids significa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. O vírus da Aids é conhecido como HIV e encontra-se no sangue, no esperma, na secreção vaginal e no leite materno das pessoas infectadas pelo vírus. Objetos contaminados pelas substâncias citadas, também podem transmitir o HIV, caso haja contato direto com o sangue de uma pessoa.

Após o contágio, a doença pode demorar até 10 anos para se manifestar. Por isso, a pessoa pode ter o vírus HIV em seu corpo, mas ainda não ter Aids. Ao desenvolver a Aids, o HIV começa um processo de destruição dos glóbulos brancos do organismo da pessoa doente. Como esses glóbulos brancos fazem parte do sistema imunológico ( de defesa ) dos seres humanos, sem eles, o doente fica desprotegido e várias doenças oportunistas podem aparecer e complicar a saúde da pessoa. A pessoa portadora do vírus HIV, mesmo não tendo desenvolvido a doença, pode transmiti-la.

Formas de Contágio

A Aids é transmitida de diversas formas. Como o vírus está presente no esperma, secreções vaginais, leite materno e no sangue, todas as formas de contato com estas substâncias podem gerar um contágio. As principais formas detectadas até hoje são : transfusão de sangue, relações sexuais sem preservativo, compartilhamento de seringas ou objetos cortantes que possuam resíduos de sangue. A Aids também pode ser transmitida da mão para o filho durante a gestação ou amamentação.

Principais Sintomas da Aids

Como já dissemos, um portador do vírus da Aids pode ficar até 10 anos sem desenvolver a doença e apresentar seus principais sintomas. Isso acontece, pois o HIV fica "adormecido" e controlado pelo sistema imunológico do indivíduo. Quando o sistema imunológico começa ser atacado pelo vírus de forma mais intensa, começam a surgir os primeiros sintomas. Os principais são: febre alta, diarréia constante, crescimento dos gânglios linfáticos, perda de peso e erupções na pele. Quando a resistência começa a cair ainda mais, várias doenças oportunistas começam a aparecer: pneumonia, alguns tipos de câncer, problemas neurológicos, perda de memória, dificuldades de coordenação motora, sarcoma de Kaposi (tipo de câncer que causa lesões na pele, intestino e estômago). Caso não tratadas de forma rápida e correta, estas doenças podem levar o soropositivo a morte rapidamente.

Formas de Prevenção

A prevenção é feita evitando-se todas as formas de contágio citadas acima. Com relação a transmissão via contato sexual, a maneira mais indicada é a utilização correta de preservativos durante as relações sexuais. Atualmente, existem dois tipos de preservativos, também conhecidos como camisinhas : a masculina e a feminina. Outra maneira é a utilização de agulhas e seringas descartáveis em todos os procedimentos médicos. Instrumentos cortantes, que entram em contato com o sangue, devem ser esterilizados de forma correta antes do seu uso. Nas transfusões de sangue, deve haver um rigoroso sistema de testes para detectar a presença do HIV, para que este não passe de uma pessoa contaminada para uma saudável.

Tratamento

Infelizmente a medicina ainda não encontrou a cura para a Aids. O que temos hoje são medicamentos que fazem o controle do vírus na pessoa com a doença. Estes medicamentos melhoram a qualidade de vida do paciente, aumentando a sobrevida. O medicamento mais utilizado atualmente é o AZT ( zidovudina ) que é um bloqueador de transcriptase reversa. A principal função do AZT é impedir a reprodução do vírus da Aids ainda em sua fase inicial. Outros medicamentos usados no tratamento da Aids são : DDI ( didanosina ), DDC ( zalcitabina ), 3TC ( lamividina ) e D4T ( estavudina ). Embora eficientes no controle do vírus, estes medicamentos provocam efeitos colaterais significativos nos rins, fígado e sistema imunológico dos pacientes.

Cientistas do mundo todo estão trabalhando no desenvolvimento de uma vacina contra a Aids. Porém, existe uma grande dificuldade, pois o HIV possui uma capacidade de mutação muito grande, dificultando o trabalho dos cientistas no desenvolvimento de vacinas.

Você sabia?

- Dia 1 de dezembro comemora-se o Dia Mundial de Luta contra a Aids.

VERRUGAS COMO ELIMINA-LAS


Doenças da Pele
Verruga Viral

O que é?

As verrugas virais são lesões causadas pelo papilomavírus humano (HPV). São auto-inoculáveis (podem se disseminar pela pele através do contato das lesões com áreas não atingidas) e transmitidas pelo contato direto com pessoas contaminadas.

Manifestações clínicas

As verrugas virais podem se apresentar de várias formas de acordo com a sua localização e formato:

Verruga vulgar: localizadas na superfície normal da pele, as lesões são elevadas, endurecidas, de superfície áspera e coloração esbranquiçada. Algumas apresentam pontilhado escuro. Isoladas ou coalescentes, podem variar de milímetros a centímetros de diâmetro. As áreas mais atingidas são as extremidades dos membros, sendo muito frequentes nas mãos, cotovelos e joelhos. Mais facilmente encontradas nas crianças e adolescentes.



Verruga peri-ungueal: são as verrugas vulgares que localizam-se ao redor das unhas. Devido ao fato de se extenderem para dentro da prega ungueal, este tipo de verruga pode ser de tratamento mais difícil.



Verruga plana juvenil: as lesões são pequenas, de superfície plana e em grande número. As regiões mais atingidas são a face e os membros. Mais frequentes em adolescentes.

Verruga plantar: localizadas nas plantas dos pés estas lesões crescem para dentro da pele, devido ao peso do corpo impedir o seu crescimento para fora. São, muitas vezes, confundidas com calosidades, porém, quando raspadas, as lesões mostram uma superfície irregular e pontos escuros no seu interior, o que as diferencia dos calos. As maiores costumam ser dolorosas ao pisar.



Verruga filiforme: mais frequente na face e no pescoço, este tipo de verruga forma lesão digitiforme (semelhantes a um dedo) que se projeta da superfície da pele. É mais facilmente encontrada nas pessoas idosas.



Verruga genital ou condiloma acuminado: este tipo de verruga é encontrado na região genital ou peri-anal. As lesões são mais macias e, quando localizadas nas mucosas, podem ser úmidas. A coloração varia de esbranquiçada a escura e o tamanho de pequeninos pontos a grandes lesões vegetantes (aspecto de couve-flor). Mais comum em adultos, pode ser adquirida por transmissão sexual. O achado de verrugas genitais em crianças deve levantar a suspeita de abuso sexual.



Tratamento

O tratamento das verrugas consiste na sua destruição, que pode ser feita através de procedimentos cirúrgicos (eletrocoagulação e curetagem), pela cauterização química das lesões (uso de substâncias cáusticas sobre as lesões), pela criocirurgia (destruição das lesões por congelamento com nitrogênio líquido) ou pelo uso local de substâncias conhecidas como imunomoduladores, utilizadas para o tratamento de verrugas resistentes aos tratamentos convencionais.

Abaixo, um exemplo de verruga plantar tratada com uma sessão de criocirurgia. Além do efeito do congelamento, parece que o processo inflamatório resultante deste tratamento favorece o reconhecimento do vírus como um agente agressor, com consequente formação de anticorpos para combatê-lo.



Quando as lesões ocorrem em grande número, pode ser necessária a estimulação imunológica do paciente para que o seu próprio organismo elimine as lesões. O tratamento adequado para cada caso deve ser indicado pelo médico dermatologista.

Associar ao tratamento o estímulo psicológico pode ser de grande ajuda, principalmente no caso das crianças. É conhecido o fato de alguém jurar que ficou curado após fazer uma simpatia. O que ocorre é que, sendo um doença viral, o estímulo à defesa orgânica pelo subconsciente pode ajudar o organismo a adquirir imunidade contra o vírus e eliminar as lesões.

Veja também...